UCA QUIXADÁ CE

UCA QUIXADÁ CE
AULA DE CAMPO COM OS LAPTOPS EDUCACIONAIS - EDUCAÇÃO AMBIENTAL - A ESTUDANTE NAJARA FILMA O AÇUDE CEDRO E A GALINHA CHOCA COM O UQUINHA.

EQUIPE DA ESCOLA E.E.M. JOSÈ MARTINS RODRIGUES

sábado, junho 30, 2012

Noite Cultural Sertão e Saber 29/06/2012
















ROTEIRO APRESENTAÇÃO DA 5ª NOITE CULTURAL

SERTÃO E SABER


ABERTURA: VÍDEO COM A MÚSICA LUAR DO SERTÃO



1. ACOLHIDA: ERIVALDO

1. INTRODUÇÃO: A cultura, em todos os seus aspectos, tem como resultado fortalecer a identidade pessoal e social do indivíduo, bem como de integrá-lo em sua família e em sua comunidade. Assim, tendo em vista a importância da formação cultural para os alunos é que a nossa escola colocou ao alcance dos estudantes, materiais que lhes permitam exercer a criatividade e a produção do conhecimento de suas raízes.
Hoje, com muita satisfação estamos aqui para concretizar esse aprendizado através da 5ª noite cultural e festejar juntos: alunos, professores, gestores e comunidade. Agora daremos início às nossas apresentações com um cordel que narra todo esse evento, pela professora Suely Teixeira.

Cordel livre para abertura da Noite Cultural da Escola José Martins Rodrigues

Boa noite pessoal
Que bom encontrar vocês
Nessa noite cultural
Já somos até freguês
Hoje com maior prazer
Vendo a arte florescer
Pois agora é nossa vez

Hoje estamos aqui

Pedindo licença a Língua
Pois o nosso linguajar
Precisa de muita rima
Mãe farta de adereços
Conceda-me escorregar
Nessas estrofes meninas

Todos nós aqui sabemos
Que o nordeste é rico
Em cultura popular
Não há quem lhe tire o tito
Por isso nossa homenagem
Traz hoje essa bagagem
Com graça e muito afinco


Lembraremos nesta noite de
De Beato e Lampião
Um era rezador
Outro dominava o sertão
Um acolhia o povo
Outro fazia justiça com a mão

Antônio conselheiro
Nasceu em Quixeramobim
Tinha consigo o desejo
De um mundo menos ruim
Por isso fundou Canudos
Pra tirania ter fim
Infelizmente seu sonho
O governo deu-lhe fim

Lampião quase menino
Viu sua vida se transformar
Um instinto assassino
Passou a lhe devorar
Quando viu seu pai por terra
Seu destino era matar
Mas lampião também

Era um justiceiro sem igual
Pois fazia justiça aos pobres
Com a ponta do punhal
Protegia os humildes
Castigava os que eram mal

Lembraremos de Luiz Gonzaga
Nosso grande Gonzagão
Que com Humberto Teixeira
Eternizaram o Baião
Nosso ritmo espalhado
Fora e dentro da nação

Luiz Gonzaga foi o Rei
Na sanfona e na voz
Porém Humberto Teixeira
Com a sua mão veloz
Escrevia Asa Branca,
Assum Preto para nós

Foi ele quem escreveu
Xanduzinha, Vai Saudade
Paraiba, mulher macho
E Respeita Januário
Traduzida em várias línguas
Pura musicalidade

Não podemos esquecer
Nosso expoente maior
Pois na arte do repente
Cego Aderaldo era só
Quem pelejava com ele
Podia se preparar
Pra sua língua da nó

É conhecida a peleja

De Aderaldo e Zé Pretinho
Donde lá no Piauí
Precisamente em varzinha
Derrotou sem mais delongas
O opositor respeitado
Só com sua rabequinha

A Sabedoria empírica

A crença , a devoção
São valores culturais
Encravados no sertão
Benzedeiras e rezadeiras
Deixam o nosso povo são

O Vaqueiro do nordeste
É figura singular
Pela mata da Caatinga
Vive do gado a cuidar
Aboiando o seu canto
Para o gado organizar

Em seu cavalo valente
Enfrenta espinhos e dor
Não desanima e contente
Segue a lida com amor
Do gado é um escravo
Do patrão é servidor.

Hoje o povo vive a dizer
Que o vaqueiro já trocou
Seu cavalo por uma moto
Não é verdade meu senhor
Pois vaqueiro de verdade
Não deixa de transpor gado
Em matas brenhosa e crua
Onde a moto se entrar
O pneu logo se fura

Estudante JMR
Preciosas pedras são
Pois não mediram esforços
Pra esta noite não ser em vão
Pesquisas e conhecimentos
Trouxeram no matulão

Do Pólo do Sabonete
Embolada popular
Um dicionário criou-se
Só com o nosso linguajar
Palavras que só nos mostra
Forma e modo de pensar
Através de um cordel
Sua história vem contar
Sua origem sua gente
Seu galão e seu pescar

E aos “mestres” com carinho
Quero aqui a agradecer
Pois num esforço conjunto
Fizeram acontecer
Simpósio palestra eventos
Que nos fez enobrecer.

Obrigada amada língua
Por deixar eu me soltar
E com muita humildade
Nesse simples veserjar
Falar um pouco de tudo
Desta noite “culturá”.
S.T.
Quixadá -Ceará



Vídeo para apresentar todas as atividade que antecederam à Noite Cultural Sertão e saber com música “Tem que ser nordestino pra saber dá valor ao Nordeste brasileiro” de Eudes Fraga. (A postar)

2. O sertão apresenta personagens singulares de sua cultura que, aos poucos, estão se perdendo em meio à modernidade. Cada uma possui sua singularidade que a torna inesquecível. Com nossas crenças e tradições. As mulheres sempre estiveram e estarão presentes nessa história, seja para ajudar a novas vidas virem ao mundo como o fizeram as parteiras ou para curar os males como as benzedeiras. Todas essas figuras de extrema importância para a nossa história. As parteiras eram aquelas que estavam prontas a atender qualquer parturiente, seja há qual hora fosse. Agora, para homenagear essas figuras importantes chamaremos os alunos da professora Juliana com o cordel "Parteira: uma figura feminina no sertão "

MÚSICA - A Morte do Vaqueiro. Composição: Luiz Gonzaga e Nelson Barbalho

1. Ao mencionar o sertão não podemos deixar de citar uma figura também muito importante que é o herói do sertanejo: O Vaqueiro. Valente, destemido, guerreiro. Personagem muito importante no desenvolvimento da economia cearense no início da colonização. Hoje é considerado uma figura quase lendária e em extinção. No sertão nordestino já não é visto com tanta frequência. Em muitos lugares o cavalo foi substituído por uma moto e indumentária (gibão de couro) por camisa e calça jeans. Para representar esse herói chamaremos novamente os alunos da professora Juliana com a Dança: "Vaqueiro: figura lendária do sertão nordestino"

MÚSICA COM IMAGEM DO CEGO ADERALDO
2. “Meus prantos se enxugaram.
Das lágrimas que corriam
Chegou-me a poesia
E eu me consolei.
Sem pai, sem mãe, sem Vista,
Meus olhos se apagaram;
Tristonhos se fecharam
E eu nunca mais chorei”
(Cego Aderaldo)
2. Por falar em mito, herói e nordestino, não podemos deixar de citar esse poeta tão importante para nós quixadaenses e para isso contaremos com a apresentação das alunas do professor Henrique Jorge com a Peleja do Cego Aderaldo com Zé Pretinho do Tucum: QUEM A PACA CARA COMPRA PACA CARA PAGARÁ.
MÚSICA SOBRE O ABC DO SERTÃO
1. Para não perder o embalo da melodia das palavras e nos deliciarmos com o linguajar do sertão chamaremos Eloíza, aluna das professoras Lucivanda e Valdiana, com uma embolada retratando o dicionário cearês.
APRESENTAÇÃO DA EMBOLADA
MÚSICA SOBRE PESCADOR
2. Conhecer as nossas raízes é importante para o reconhecimento de si mesmo e dos laços familiares. Tendo em vista essa importância os alunos da professora Elenilce: Isabel, Raylane e Wellington apresentarão um cordel: “Vamos jogar nossas tarrafas e galões”.
MÚSICA SOBRE ANTONIO CONSELHEIRO (Súplica cearense)
1. A chuva sempre foi e é uma das dádivas para o nordestino. Muitos poetas versaram e cantaram sobre esse fenômeno. Até mesmo se fez profecias. Para relembrarmos da mais significativa dessa profecia chamaremos os alunos da professora Juliana: Andressa, Clara, Cirly Mara, Enéas, Fernanda, Pâmela, Wcleiton e Talita, com a Encenação: "A profecia do beato que dizia que o sertão vai virar mar”.
1. ENCERRAMENTO: Bem, estamos concluindo nossas apresentações, e gostaríamos de parabenizar e agradecer a todos que participaram dessa linda festa e também aos que estão presentes apreciando esse evento... (toca uma música de casamento matuto) Mas o que é isso? Vai ter casamento? Quem é o noivo?

INICIA O CASAMENTO...
Casamento Matuto por Elionete Barbosa


O PAI DA NOIVA ENTRA GRITANDO COM UMA ESPINGARDA EM UMA MÃO E O NOIVO NA OUTRA
__É ESSE CABRA DA PESTE QUE FEZ MÁR PARA MINHA SANTINHA...
ENTRA A NOIVA GRÁVIDA E COM CARA DE CHORO
__OU OCÊ CASA...OU OCÊ MORRE! O QUE VAI SERRR? (O pai da noiva)
__ORA SEU João Cospe Fogo EU SEMPRE SONHEI EM CASÁ...NUM PENSO EM OTA COISA...(Noivo)
__ENTÃO PODE ENTRAR, SEU PADRE. NÃO VAI TER ESTREMUNÇÃO...VAI TER UNIÃO... (PAI DA NOIVA)
O PADRE INICIA O CASAMENTO
__Senhor Zeca Rabo de Burro (O PADRE BEBE UM POUCO DE CACHAÇA) É DI LIVRE I ISPONTANHA VONTADE que VOSMICÊ ACEITA a senhorita Maria Pinga Fogo filha de João Cospe Fogo COMO SUA LIGÍTIMA ESPOSA?
__É... ACEITO... DI LIVRI I ISPONTÂNHEA PRESSÃO... (NOIVO)
__ÓIA AÍ PAI... (CHORANDO A NOIVA)
__O QUÊ SEU DISINFILIZ?(PAI DA NOIVA MOSTRA A ESPINGARDA)
__NADA AMOR... TAVA SÓ BRINCANDO... NÉ SOGRINHO... (O NOIVO DIZ SUANDO, ESPREMENDO UM PANO MOLHADO...)___ACEITO
O PADRE CONTINUA O CASAMENTO
__SI ARGUÉM TEM ALGUMA COISA QUI IMPATI ESSI CASAMENTO... FALE AGORA OU SE CALE PRA SEMPRE... (O PADRE BEBE MAIS UM POUCO DE CACHAÇA)
ENTRA ALGUMAS MULHERES COM FILHOS DO NOIVO
__ESSE HOMI É O PAI DUS MEUS FIO
__NÃO. ELE É MEU MARIDO...
ENTÃO AS MULHERES COMEÇAM A BRIGAR, INCLUINDO A NOIVA
O NOIVO APROVEITA A BRIGA E FOGE COM UMA CAIPIRA QUE ESTÁ PERTO DO ALTAR...
ASSIM TERMINA O CASÓRIO...TODAS MULHERES CHORANDO E O PAI DA NOIVA CONSOLANDO ELA E CULPANDO A MÃE DA NOIVA POR NÃO TER ENSINADO A FILHA A ARRANJAR UM MARIDO...
(APÓS O CASAMENTO)

2. E agora depois de tanta confusão e nenhum casamento vamos para a festa ver a quadrilha organizada pelo professor Lucas.
MÚSICA DE QUADRILHA
Agradecimentos especiais a todos os profissionais que participaram e contribuíram para a realização desse evento.











quinta-feira, junho 28, 2012

Preparando-se para a A NOITE LITERÁRIA

Nossa escola está em polvorosa para a Noite Literária. Este ano com o tema Sertão e Saber.
...

SEMINÁRIOS: SERTÃO E SABER


Alunos do 3º ano B fizeram um excelente trabalho de pesquisa, onde entrevistaram personagens do sertão: Parteira, Benzedeiro e Vaqueiro. Apresentação em sala de aula dia 14 de junho de 2012.

* Parteira:

Cordel:
Autoria: Macílio

Boa tarde cidadões
Não tome conclusões
Do que vou lhes falar
Podem até gritar
Se quiser me alegrar
Diga-me quantas parteiras existe em Quixadá?
Mulheres valentes
E muito competentes
Que ajudam a comunidade
Melhorando a sociedade
Pensando na criança
Sempre com esperança
Muitos não percebem
O quanto elas intercedem
Na vida da família
Saindo para guerrilha
Da paz e do bem
Pensando na criança e em sua mãe também
Não ligam para a distância
E sim dão importância
Para o que vão fazer
Sabendo que vão perecer
Aos perigos que contém
Vivem pela vida daquele que agora vem
Um ser especial
Acho que não tem igual
Na minha comunidade
Fazem pela caridade
De ajudar o semelhante
Mesmo tento que batalhar bastante
Agradeço a vocês
E fico ansioso
Espero ter ajudado o povo
A respeitar e compreender
O tanto que merecer
As parteiras do Ceará.

Benzedeira(o) : 

· O que um(a) benzedeira(o) faz?
Ao chegar uma pessoa enferma se percebe por experiencia a maneira como esta se porta e através da postura de seus olhos, braços e ombros pode se ter uma ideia do tipo da doença e qual será a melhor reza para curá-la.
· Por que o Senhor reza em silêncio?
Por que não é bom demonstrar o que fazemos. Não por egoísmo ou por algo qualquer, mas pelo respeito que devemos ter por nossa fé. o Assunto é só entre Deus, o enfermo e eu. Por isso não acho certo realizar meu trabalho em voz alta. O segredo de tudo está na humildade, na bondade e na caridade. E Deus sente o que vai na alma de cada um.
· Qual a sua religião?
Católico.
· Quando se vai rezar é usado algum instrumento?
Sim. Ramo verde. Pois os males dos enfermos não passa pra gente fica tudo no raminho, que muitas vezes chega a secar durante uma reza.
· Como desenvolveu seu trabalho?
Aprendi com minha avó, que aprendeu com seus ancestrais, mas acho que tudo é dom de Deus.
· Já foi criticado por seu trabalho?
Não, nunca.
· Se rezar e a pessoa não acreditar o que acontece?
O benzedor sabe quando a pessoa não crê e fala com ela, o advertindo sobre o que pode acontecer. No máximo ele não se cura, mas Deus é maior.
· Você recebe dinheiro por isso?
Não.
· Como sabe que o individuo está doente e quem foi o causador?
Saber que a pessoa está doente é fácil, sabem quem é o causador é outra coisa. Rezar para que uma pessoa fique boa é a minha missão, mas nao posso dizer quem é o causador. Há muitas causas, mas tudo depende da fé.
· Há quanto tempo você exerce o seu dom?
Desde os 10 anos de idade.

* Vaqueiro:

Entrevista
Nome: Antonio de Sousa
Idade: 53
Local De Nascimento: Junco - Quixadá
P1-Como você percebeu que tinha vocação para ser vaqueiro?
R1-Não percebi, a vida me deu de presente, pois desde pequeno sempre lidei com o gado, meu pai era vaqueiro dos bons, daqueles que os bichos obedeciam. Isso me deu uma referencia maior.
P2- O que você sente ao exercer esse ofício?
R2- Na verdade o que sinto é tristeza e alegria, pois às vezes é muito triste ver o gado sofrendo com a seca medonha, e por outro lado e muito satisfeitório ver o gado na invernada em tempos bons de chuva. Então deixa a gente com dois sentimentos.
P3- Você já recebeu alguma remuneração pela sua prática?
R3- Já, pois já trabalhei em várias fazendas, hoje estou cuidado do que é meu, é muito pouco, 10 a 15 cabeças de gado mas cuido como se fosse um grande rebanho.
P4- Algumas vezes pensou em desistir dessa prática?
R4- Com certeza muitas vezes, principalmente ao ver o gado morrer sem ter o que comer e beber. Mas o gado é minha paixão e eu acho que devo continuar.
P5- Tem pretensão de parar de ser vaqueiro?
R5- Bem, como eu já exerço essa prática, pretendo continuar com ela até o fim de minha carreira.
P6- Você acha que essa prática deve sempre existir?
R6- Eu acho que enquanto existir gado deve existir o vaqueiro.
P7- Em toda a sua trajetória de vaqueiro algum fato o marcou bastante? Qual?
R7- Sim! A morte do meu pai que era um vaqueiro completo. Foi o que mais me marcou. O gado urrava sem parar. E o Cachorro não saiu de perto da cova durante muito tempo. Foi preciso ir busca-lo pra que não morresse de fome. O gado sentiu a sua falta porque ele era um vaqueiro que o gado obedece, ele dava remédio e se preocupava para que o animal não chegasse a morrer. Quando uma vaca estava para parir no meio da mata ele ficava lá até o bezerro nascer. Era um curador. Meu pai era um vaqueiro de verdade.
P8-Porque costumeiramente você se veste com esse gibão?
R8- Para me proteger dos espinhos e obstáculos que encontramos em nossos caminhos. É também muito bom para nos proteger do sol.
P9- Você acha que o costume de o vaqueiro andar a cavalo está sendo substituído pela moto?
R9- Para mim isso não é bem verdade. A moto serve para andar em estradas. Mas o vaqueiro legítimo anda a cavalo enfrentando espinhos e muitos outros obstáculos. A moto não dar pra correr atrás do gado dentro da mata, nem para mudar o gado de um pasto para o outro.
P10-Deseja acrescentar mais alguma coisa?
Hoje eu cuido do meu gadinho. Faço celas, faço chicote e arreios.
E fico muito feliz quando alguém me procura e me admiro por jovens como você querer saber da vida de vaqueiros.

terça-feira, junho 26, 2012

2º ENCONTRO COM OS ALUNOS DO INTERCÂMBIO UFC/EUA




O segundo encontro entre os estudantes do Intercâmbio UFC-CE e EUA com os estudantes da Escola José Martins Rodrigues, deu-se nos dias 25 2 26 de junho.

Foi muito rica a troca de informações tanto para nossos estudantes, como para os participantes do intercâmbio.

No dia 25 os estudantes americanos apresentaram sua terra, sua cultura e como vivem as pessoas de lá. Apresentação foi através de slides.

No dia 26 foi a vez da escola falar da nossa terra nossos problemas com a falta de preservação do nosso patrimônio histórico, mostramos também toda beleza e beleza exuberância natural, nossa cultura e nossa gente. O encerramento foi com um café da manhã oferecido pela UFC. Por fim, convidamos para os presentes participar do ensaio da quadrilha da escola. Foi muito bom.























Vídeos exibidos finalizando as apresentações sobre Quixadá:



segunda-feira, junho 18, 2012

Fotos das oficinas do Simpósio Sertão em nós da EJMR

Professor Erivaldo Marinho faz abertura do Simpósio SERTÃO EM NÓS
Professor de Matemática, Glauberto Abreu dar Oficina de Iniciação a Informática

OFICINA: CINEMA NO SERTÃO PROFESSOR VALDERY SAMPAIO


OFICINA: Importância do trabalho cardiovascular para o funcionamento do corpo humano - PROFESSOR NOBRE

OFICINA: XILOGRAVURA
PROFESSORES HENRIQUE PAIVA E SUELY TEIXEIRA


Sobre a oficina de xilogravura

O I simpósio com o tema Sertão em Nós da EJMR trouxe-nos um pouco da arte consagrada por Mestre Noza , Lino e Walderedo. A feitura da xilogravura desde o preparo dos tacos na lixa e a entintagem da matriz e suas cópias. Uma oportunidade fascinante para os estudantes do pólo e sede da escola Martins Rodrigues que construíram uma arte que não faz parte do nosso cotidiano, diferente da literatura de Cordel e dos cantadores tão famosos de nossa terra.

A oficina demonstrou todo um cuidado em mostrar as riquezas do “Sertão em Nós” , através da professora Suely Teixeira que construiu um ambiente de feira, com cordéis pendurados em barbante pela extensão da sala e esforçou-se em fotografar todas as oficinas e minicursos. A parte prática ficou com o professor Henrique Teles. Os professores ressaltaram que eventos como este são reveladores de artistas dentro da escola e agradeceram aos professores que demonstraram sensibilidade por um simpósio tão nosso, tão sertão em nós.




OFICINA: DEMOSTRAÇÃO DA FABRICAÇÃO DA CACHAÇA E DA RAPADURA - PROFESSORA REGINÁRIA

OFICINA: LUIZ GONZAGA CANTA XOTE, XAXADO E BAIÃO PROFESSORES WANDSSON NASCIMENTO E SUELY TEIXEIRA

PROFESSORES COLABORADORES DO SIMPÓSIO

PALESTRA COM O SR. PARUARA, PROFETA DA CHUVA.
ENCERRAMENTO DO SIMPÓSIO SERTÃO EM NÓS
Professor Salim Hissa Neto faz o encerramento do evento, ressaltando o valor de atividades diferentes para a escola.

quarta-feira, junho 13, 2012

A EEFM José Martins Rodrigues convida:






A escola de ensino médio José Martins Rodrigues realizará no próximo dia 15 de junho de 2012 o I SIMPOSIO ESCOLAR com o tema SERTÃO EM NÓS, no qual serão ministradas oficinas de: Xilogravura; Informática Básica com iniciação ao Google Docs; Demonstração da fabricação de cachaça e rapadura; A importância do trabalho cardiovascular para o funcionamento do corpo humano; Cinema no Sertão; Vida e obra de Luiz Gonzaga.

O Simpósio tem como objetivo divulgar os trabalhos do projeto cultural SERTÃO E SABER desenvolvido durante o primeiro semestre de 2012, de forma a valorizar os costumes locais e estimular a iniciação científica.

Para abrilhantar o evento contaremos com a palestra do poeta repentista e profeta da chuva o Sr. Paruara.

Público alvo: discentes, docentes, crede 12 e comunidade vizinha.

Professores colaboradores (ministrantes):

  • Francisco Glauberto

  • Francisco Nazareno (Nobre)

  • José Wandsson

  • Henrique Jorge

  • Reginária Gomes

  • Suely Teixeira

  • Valdery Sampaio


Organização: Elionete Barbosa, Glauberto Abreu, Reginária Gomes e Valdery Sampaio.

Apoio: Salim Hissa Neto (diretor)

Erivaldo Marinho (coordenador)

sábado, junho 09, 2012

Relatórios de trabalhos do mestrando Rodrigo Carvalho


Rodrigo Lacerda Carvalho, aluno do Mestrado Acadêmico em Educação (Ensino de Matemática) da Universidade Estadual do Ceará – UECE, está realizando na Escola de Ensino Fundamental e Médio José Martins Rodrigues a pesquisa intitulada: O ENSINO DE FUNÇÕES COM O USO DO LAPTOP EDUCACIONAL: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DA ATIVIDADE. Esta pesquisa visa observar dentro do contexto da sala de aula como está acontecendo o ensino da disciplina de Matemática, mais especificamente do conteúdo de funções, a partir da chegada do computador na escola. Para isso tomamos como aporte teórico a Teoria da Atividade, além das observações o pesquisador está trabalhando com o professor de Matemática do 1º ano da manhã Glauberto Abreu no planejamento das aulas, visando inserir ações e operações que levem os discentes a sentirem a necessidade de aprender essa disciplina, chegando assim ao nosso principal objetivo que é transformar a atividade de ensino em atividade de aprendizagem.




Relatório: 10/05/12

Hoje na aula de Matemática para ensinar o conteúdo de lógica matemática, o professor Glauberto trabalhou a torre de Hanói no laptop educacional. Estiveram também presentes em sala a professora do LEI Suelly Teixeira e o mestrando Rodrigo Lacerda, que está fazendo uma pesquisa com o professor Glauberto sobre as possiblidades de usar o uquinha como um instrumento para melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem da Matemática. O professor postou no seu blog a lenda da torre de Hanói, para que os estudantes compreendessem de onde surgiu este jogo. Os discentes começaram a jogar com 3 discos, depois o professor pediu que passassem para 4 peças e assim por diante. Pediu também que os alunos fizessem em um número mínimo de jogadas, até chegarem à conclusão de que existe uma fórmula matemática para se jogar a torre de Hanói. O professor ainda trabalhou o conceito de função, quando os alunos concluíram que o número de jogadas ocorre em função do número de discos. Conseguiu-se criar um ambiente motivador em sala de aula, os alunos estavam envolvidos com a atividade, fizeram inúmeros questionamentos, realmente sentiram-se desafiados.


Planejamento - 09/05/12


Hoje estiveram reunidos os professores das disciplinas de Matemática, Física, Química e Biologia e o mestrando Rodrigo Lacerda da Universidade Estadual do Ceará - UECE. O pesquisador apresentou para os docentes As Contribuições da Teoria da Atividade para o Ensino, baseando-se na palestra que foi ministrada pelo Professor Dr. Manoel Oriosvaldo de Moura, da Universidade de São Paulo - USP, na UECE no dia 27/04/12. A palestra proferida pelo mestrando Rodrigo na Escola de Ensino Fundamental e Médio José Martins Rodrigues tratou das contribuições da teoria da atividade para a organização do ensino e as possibilidades de aplica-la em sala de aula, para que através de seus pressupostos os professores possam perceber formas mais efetivas na utilização do laptop educacional e consigam gerar uma motivação nos alunos, e estes passem a sentir a necessidade de aprender, nesse processo tem-se a possibilidade de transformar a atividade de ensino em atividade de aprendizagem.




RELATÓRIO 02.05.12

Em 02.05.12 estiveram reunidos os professores da área de Ciências da Natureza (Química, Física, Matemática e Biologia) e o Professor Rodrigo Lacerda, estudante de Mestrado da UECE, para realizarem o planejamento semanal. O Professor Rodrigo está realizando uma pesquisa sobre como melhorar o ensino de Matemática através do uso do laptop educacional e na oportunidade está dando o suporte necessário aos professores da área. O coordenador da escola Erivaldo Marinho participou do planejamento, relatou alguns informes e dentre eles, disse que os professores do 1º ano do Ensino Médio, nos meses de maio e junho, deveriam utilizar em sala de aula o Projeto do Primeiro Aprender. Os professores decidiram ensinar as ideias principais do Projeto, para que possa ser feita toda a revisão necessária dos conteúdos.

Neste mesmo dia o professor de Matemática Glauberto Abreu e o pesquisador Rodrigo Lacerda levaram os alunos para o Laboratório Educacional Informática – LEI. E com o suporte da Professora Suely Teixeira pesquisaram sobre as contribuições de alguns matemáticos para o avanço no conceito de função, a tarefa teve como objetivo mostrar para os alunos que este conteúdo, assim como toda a Matemática é produto da atividade humana e não algo pronto e acabado como os estudantes costumam pensar.


quarta-feira, junho 06, 2012

Intercâmbio Cultural - Visita das estudantes americanas a EEFM José Martins Rodrigues



A visita das estudantes Catie Street, Sarah Leffew, Alisson Hughes
ocorreu de forma tranquila e em um ambiente escolar normal, pois a escola não mudou sua rotina. As estudantes vieram em companhia de Lavina Lima e Silvana Holanda; Técnicas UFC. Lavina é responsável pelo projeto trabalhado com as estudantes do intercâmbio.
Vale ressaltar que o intercâmbio acontece entre estudantes da UFC e estudantes da América do Norte e as estudantes americanas escolheram a escola José Martins Rodrigues em virtude do trabalho que esta desenvolve em especial com o Programa Um Computador por Aluno (PROUCA).
Partciparam do evento: Salim Hissa Neto; Diretor, Erivaldo Marinho; Coordenador, Lucileuda Barbosa; agente administrativo, Valdery Sampaio; Professor de História e Suely Teixeira; Professora do LEI/PROUCA idealizadores do projeto QUIXADÁ PATRIMÔNIO E CULTURA INTEGRADO AO PROJETO NOSSA TERRA NA WEB da Plataforma Sócrates.
Estiveram presentes: Aldelinda Santiago representando a coordenadora da CREDE 12, Joyce Santana, os técnicos do NTE Quixadá Ionês Brito, Jacinta Barros, Joana Lobo e Thiago Alves.
Evelma Ribeiro; Secretária, Graça Furtado; Multimeios, Augusto Ribeiro e Liduina Ferreira; Agentes administrativos e estudantes da escola.
O café da manhã foi servido às 8:00 horas, em seguida assistimos o espetáculo de dança CARCARÁ coreografado pela professora Gerlídia Tavares. O espetáculo trazido pela coreógrafa foi bastante apreciado, uma vez que representou divinamente a força do nosso povo. Após a apresentação da dança, o Professor Valdery Sampaio fez a explanação do projeto.
Durante a tarde iniciamos a visita ao patrimônio histórico e pontos turísticos de Quixadá, os quais estão listados para ser trabalhados no projeto proposto para o intercâmbio.
No dia 06/06 continuamos a visita aos pontos turísticos. Visitamos o Açude Cedro, a Fundação cultural, Chalé da Pedra e o Memorial de Rachel de Queiroz, Museu Histórico de Quixadá, Praça da Estação, Santuário Nossa Senhora Rainha do Sertão e Pedra do Cruzeiro. Visitamos os pontos mais importantes de Quixadá, tendo em vista serem o foco de estudo por nossos estudantes, pois o projeto trabalhado na escola tem como objetivo principal resgatar o valor desse patrimônio, bem como sua preservação. Para isso levamos nossos estudantes para ver a realidade que se encontra Quixadá. O que encontramos, infelizmente, nos pontos mais importantes para nossa História - Açude Cedro, Pedra do Cruzeiro, Estação Ferroviária - foi abandono, degradação e sujeira. O despertar crítico e responsável é uma semente que plantamos em nossos estudantes para que estes possam formar opinião e também possam reivindicar ações construtivas dos nossos governantes.